terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Voltas (ou Volte)

Enquanto eu fico no silêncio das cadeiras, os ponteiros sussurram lentamente cada segundo que estou sem você.
Soluçam.
Quase choram sua ausência.
Me fazem lembrar que minutos viram horas, horas viram dias, e estou a meses sem te ver.
A cada volta dos 60, tudo volta. O toque das suas mãos e as palavras da tua boca.
A cada volta do planeta, tudo muda, e eu tenho medo de te esquecer.

5 comentários:

D. Schuberstein disse...

uma surpresa e, como toda surpresa, um amor novo.
lindo, Li! vc consegue me surpreender de uma forma meio incomparável, mas td bem... lindo texto, mais uma vez.

L.G disse...

A coisa mais gostosa eh olhar seu blog e saber que pelo menos alguem vive e entende um pouco de quem eu sou. E entende sem as palavras , sabe por que se eh! Nos simplesmente somos.
(desculpa a falta de acento mas estou num teclado escroto)

Lu

L.G disse...

Sentimentalismo liviano !
quem diria
hehe

Li disse...

sentimentalismo leviano

Rebecca Loise disse...

tô com sintomas de saaaaaaaudade



bi-íto, fundo-amor, leve-amor, amor